segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Soneto de Fidelidade

Vai um vivi ae?

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Morais.

5 comentários:

Ana Gabriela disse...

eu adoooro esse poema!!
te amo gata!
bejao

Deize...na minha constante imperfeição disse...

Aiii meu Deus como Vivi é divino!
Eu amo cada linha!

Jey disse...

"Mas que seja infinito enquanto dure."

É tão simples.

Cíntia de Melo disse...

Vivi ,sempre.
saudades gata.

beijo
;@

Elaine disse...

Olá!
Este é um comentário-convite.
Meu blog está completando neste mês um ano " no ar". Para celebrar a juntar gente interessante estou promovendo uma blogagem coletiva.
Ficarei feliz se você puder participar. Será um modo de divulgar seu espaço e conhecer outros blogs interessantes e que têm algo a dizer.
Conto por você.
O link para a inscrição é este:
http://elainegaspareto.blogspot.com/2009/08/convite-convocacao-pedido-promocao-ou.html
Elaine